Clareamento dental: Grávidas podem realizar esse procedimento?

O clareamento dental é um dos tratamentos odontológicos mais procurados nos consultórios de todo o país. E isso se dá, principalmente, devido ao peso que a harmonia estética do sorriso tem adquirido no processo de adequação aos atuais padrões de beleza.

Essa intervenção cosmética é realizada por meio da aplicação de um gel à base de peróxido de hidrogênio diretamente na superfície dos dentes, fazendo com que as partículas de pigmento que ficam acumuladas no esmalte dentário sejam desfeitas.

Essa pigmentação excessiva pode ser adquirida por meio do consumo de alimentos ou bebidas com uma alta concentração de corantes, maus hábitos – como o tabagismo e o etilismo – ou até mesmo em decorrência do consumo de alguns tipos de medicamentos.

Assim, com o auxílio deste tratamento odontológico, realizado em uma clínica dentária 24 horas o paciente consegue recuperar a tonalidade original do sorriso e conquistar uma aparência mais agradável. 

Consequentemente, essa intervenção é extremamente importante na manutenção da autoestima dos pacientes e na sensação de bem-estar.

Por isso, investir no clareamento dental quanto custa – ou nas demais metodologias de realização do tratamento – se tornou uma grande prioridade para os brasileiros das mais variadas idades e classes sociais.

No entanto, esse tipo de tratamento é seguro durante a gestação?

Quais são as indicações e contraindicações odontológicas para as gestantes?

Ainda hoje muitos mitos e falácias são divulgadas acerca do acompanhamento odontológico durante a gestação e os perigos que esse tipo de atendimento médico pode acabar causando para a paciente e para o bebê.

Contudo, tanto a manutenção do aparelho transparente quanto tratamentos dentários, não somente são perfeitamente seguros para as gestantes como também necessário para a garantia da saúde, qualidade de vida e tranquilidade durante toda a gestação.

Isso porque, estudos em diversas partes do mundo indicam que as bactérias bucais causadoras de periodontites – doença gengival inflamatória, comum nestas pacientes – podem originar doenças sistêmicas graves na mãe e provocar o parto prematuro.

Por isso, o pré-natal odontológico com um dentista para gengiva não é somente inofensivo, como também se faz essencial para o bem-estar de todas as pacientes. Afinal, neste acompanhamento diversos procedimentos podem ser realizados como:

  • Tratamento periodontal;
  • Tratamento endodôntico;
  • Restaurações dentárias;
  • Instalação de próteses;
  • Manutenção ortodôntica;
  • Limpezas, entre outros.

Entretanto, além das intervenções que visam a manutenção da saúde e integridade das estruturas orais, existem sim alguns procedimentos que devem ser evitados durante os nove meses da gestação.

Como é o caso da lente de contato de resina, os procedimentos que exigem anestesia ou radiografias constantes. Mas e o clareamento dental?

Clareamento dental pode ser realizado durante a gestação?

Muitos profissionais da área afirmam que não existem provas suficientes de que o clareamento dental possa afligir qualquer tipo de risco para as grávidas ou para os bebês.

No entanto, também não existe uma quantidade satisfatória de estudos que comprovem que este tipo de ação seja completamente inofensivo durante este período.

Deste modo, por ser um tratamento que faz uso de substâncias ativas que provocam um processo oxidante forte nos dentes, o consenso da profissão é de que esse procedimento seja evitado inclusive durante o período de amamentação.

Isso se dá porque, estudos já comprovaram que a alta oxidação pode ser danosa para as células e tecidos da região, além de que a micro abrasão feita nas estruturas dentais durante o processo também pode gerar desconfortos e problemas para as mães.

Por isso, ainda que o investimento no clareamento dental seja bastante acessível e possa de fato auxiliar com a manutenção da autoestima das gestantes, esse procedimento não é recomendado durante ou imediatamente após a gravidez.

Qual o melhor momento para procurar o dentista durante a gravidez?

A saúde bucal tem se mostrado extremamente relevante durante os períodos de gestação, sendo que a negligência com esses cuidados é capaz de causar problemas e complicações importantes para todos os pacientes.

Assim, o ideal é que – para garantir que nenhum risco desnecessário seja enfrentado – antes mesmo de engravidar, as pacientes procurem um dentista e realizem todos os tipos de tratamentos necessários para a manutenção da integridade dos tecidos.

No entanto, uma vez que a oscilação hormonal também é responsável por mudanças substanciais na cavidade oral, fazer o acompanhamento odontológico durante os nove meses é crucial – especialmente quando a paciente faz o uso do aparelho dentário móvel.

A recomendação geral é que esses atendimentos sejam feitos no segundo trimestre de gestação, pela manhã e com o auxílio da adaptação na posição da cadeira de atendimento. Pois, assim é possível garantir que os enjoos sejam menos constantes e o desconforto seja bastante reduzido.Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *